Discografia

Conheça a discografia completa de Manu Lafer.

Autoral CD

Em 1998 lança seu primeiro CD, Baião da Flor, sob o nome artístico de Manu Mindlin, com participação do sambista Germano Mathias, símbolo da música paulista e interlocutor constante. Em seguida, já como Manu Lafer, assina Doze Fotogramas (2001), que, como o anterior, é produzido por Alê Siqueira e Leandro Bomfim.O Patriota (2003), em parceria com Danilo Caymmi (coautor de todas as músicas e parceiro mais constante desde sempre, compostas em Pequeri, Minas Gerais), foi produzido por Swami Jr. e Fábio Tagliaferri, e inclui “Pedir Pra Voltar”, a primeira parceria dos irmãos Danilo e Dori, com letra de Manu, em gravação que contou com a participação dos dois irmãos e de Nana Caymmi, e “Zepelim”, baseada em relato de Dorival Caymmi, que elogiou, na ocasião, a introdução do violão na interpretação.Seu quarto CD, Grandeza, de 2005, retoma a parceria com Alê Siqueira, sendo gravado no estúdio Ilha dos Sapos, no bairro do Candeal, em Salvador. Há uma ênfase no diálogo entre percussionistas e as letras abordam a as florestas e os índios brasileiros (que o autor conhece como médico e filho de antropóloga), além de experimentos linguísticos com palíndromos em escala inédita na MPB e inexplicavelmente ignorados pelo Guiness Book of Records.Em 2008, completando 10 anos de carreira, lançou o DVD A Lente Do Homem, seu único registro ao vivo, recheado de participações e materiais adicionais com o crítico literário Antonio Candido de Mello e Souza (também parceiro), Dori e Danilo Caymmi, Germano Mathias, Mateus Aleluia (gravado no Recôncavo Baiano) e Luiz Tatit. A direção musical do show coube a Fabio Tagliaferri, companhia constante desde a divulgação do primeiro CD (assim como a do percussionista Adriano Busko, aqui presente), e a direção do DVD coube a Déo Teixeira (tradicional e assíduo colaborador da produtora O2). Na banda também estavam Ubaldo Versolato (Banda Mantiqueira) e o ídolo Mario Manga (Premeditando o Breque, também constante).

No mesmo ano de 2008 surge o CD Ta Shemá (Vem Ouvir, na expressão judaica). O formato adotado é violão e voz, fiel à concepção das músicas, cada uma num ritmo diferente, revestidas pelos arranjos de Lincoln Olivetti, Jacques Morelembaum, Dori Caymmi, Luiz Brasil e André Mehmari.

Em 2009 grava o cd Mané Mandou, com arranjos de Lincoln Olivetti para banda e sexteto de metais, o trabalho mais dançante e pop.

O lançamento acontece em em 2012 (numa formação de decteto!), após um de seus períodos no exterior como pesquisador da área médica, entremeado com uma participação no Festival das Águas de Berlim (2010) e a veiculação reiterada de seu cd Ta Shemá no programa Radio DeLuxe, de John Pizzarelli e Jessica Molaskey, nos Estados Unidos. A vertente de intérprete aparece na divulgação dos emblemáticos programas de Rolando Boldrim (TV Cultura) e Moisés da Rocha, que tem no seu programa O Samba Pede Passagem uma assinatura e uma tradição de décadas no rádio brasileiro.

Em 2014, saem simultaneamente os cds Canto Casual, com arranjos de base de Letieres Leite (Rumpilezz), com linguagem de jazz e afrobeat, e Someone Like You, com arranjos de base de Lincoln Olivetti e linguagem pop.

Canto Casual, que dá nome ao primeiro destes dois cds, é a versão em português de uma música inédita do guitarrista John Pizzarelli feita por encomenda deste e que ganhou apresentações no prestigiado Carlyle Hotel de Nova Iorque cantada por Pizzarelli com Daniel Jobim.

Someone Like You é o outro álbum, com título emprestado de uma canção cantada por Doris Day em um de seus filmes, no qual o artista se aprimora como intérprete (em inglês) e pesquisador do chamado American Songbook, tendo a oportunidade dos arranjos do saudoso Lincoln Olivetti, coroando uma convivência profissional de 11 anos. Esse lançamento duplo ecoa Caetano Veloso nos álbuns Jóia e Qualquer Coisa, homenageados na faixa O Milênio E O Minuto (do cd Canto Casual), expressão criada por Caetano.

Como Tu Ninguém, com arranjos de Luiz Brasil, em 2015, é mais um disco de intérprete, em que o convidado Mateus Aleluia, baixo do conjunto vocal Tincoãs, canta em solo ou em duo as faixas, fruto de uma exaustiva pesquisa de repertório e de ritmos brasileiros (na percussão de Gabi Guedes), que deve muito ao acervo “Ao Chiado Brasileiro”, com a participação da cantora Mariana Bernardes e do doutor (médico) Chico Aguiar.

Como compositor, Manu tem até aqui 92 canções gravadas, embora venha deixando parte do seu trabalho, uma a duas centenas de canções, continuar inédita, para ceder vez à interpretação de obras de outros autores e cantores, obras injustamente esquecidas ou pouco valorizadas até por gerações antigas.

Autoral DVD

Clique nas capas para mais informações

Coletâneas

Clique nas capas para mais informações

Compositor

Intérprete

Clique nas capas para mais informações